Últimas notícias
Avião atropela cachorro durante decolagem e piloto faz pouso forçado após defeito em MT| Inicia a preparação para instalação da ponte de ferro no rio Tanguro em Canarana| Exército Brasileiro realizou desfile cívico em Canarana| A Secretaria de Desenvolvimento Socioeconômico e Turístico de Canarana apresenta suas ações da ultima semana de 04 a 11 de outubro| Combate a queimadas cobre área de 44 mil campos de futebol na região do Araguaia|
Sicredi
Notícias - Educação

14 de Maio de 2019 ás 12:42:24

Sem resposta do governo o cenário será de greve a partir do dia 20 em todas as escolas estaduais de MT

O presidente do Sintep/MT, Valdeir Pereira, alertou que a categoria estará em Assembleia Geral, com indicativo de greve, no próximo dia 20 e o governo deverá minimamente apresentar um documento formalizando a resposta às pautas.

Foto por: Assessoria/Sintep-MT

A suposta crise econômica do estado e as leis de controle do gastos deram a tônica do discurso apresentado pelo governo do estado durante audiência nesta segunda-feira (13.05), com o Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT). A ausência de proposta e argumentos sustentáveis para garantir o cumprimento do percentual da Lei 510/2013, apontam para a iminência da greve geral por tempo indeterminado, na rede estadual, a partir de 20 de maio.

A reunião conduzida pelo secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Basílio Bezerra Guimarães, e a secretária de Estado de Educação, Mariaoneide Kliemaschewsk, tentou justificar um possível calote no cumprimento da Lei 510/2013 dos profissionais da educação, no mês da data base.  O que foi rechaçado pelos dirigentes.

O presidente do Sintep/MT, Valdeir Pereira, alertou que a categoria estará em Assembleia Geral, com indicativo de greve, no próximo dia 20 e o governo deverá minimamente apresentar um documento formalizando a resposta às pautas. “O cumprimento do repasse da Lei 510/2013 para 2019 deve estar assegurado no salário de Maio. Caso contrário os profissionais não aceitarão ser penalizados”, advertiu Valdeir.

Segundo argumentaram os dirigentes, os recursos da educação são suficiente para o pagamento dos 7,69% da Lei 510/2013, bastando que o governo cumpra  o artigo 245 , no seu parágrafo 3º, que resguarda os recursos  da Educação nos casos de anistia ou incetivos fiscais. 

O estado registra crescimento na arrecadação superando a previsão da Lei Orçamentária Anual (LOA), feita em janeiro, destacou o secretário de Finanças do Sintep/MT, Orlando Francisco. “O argumento de crise não convence, falta prioridade nos investimentos”, argumentou.

Demais pontos

A reunião possibilitou ainda a cobrança sobre pontos da pauta que trataram da convocação do Concurso Público, falta de infraestrutura das escolas, pagamento de 1/3 de férias para os contratados e Licenças Prêmio e Qualificação.

Concurso Público – Em cumprimento a cobrança do Ministério Público a Seduc-MT disse que concluiu o levantamento de demanda de vagas livres para realizar a convocação do cadastro de reserva dos homologados ainda este ano, para o ingresso no ano letivo de 2020.

Infraestrutura das escolas – A Seduc-MT disse que dispõe de R$ 35 milhões conseguidos da Assembleia Legislativa para obras em escolas. São cerca de 470 unidades, das quais 40 escolas na capital estão dentro de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o MPE e Tribunal de Contas, para serem viabilizadas nos próximos 4 anos. Para além dessas, o Sintep/MT exige um cronograma de reformas.

1/3 de férias para os contratados – O governo se comprometeu em fazer o pagamento das férias de 2019.

Licenças Prêmio e para Qualificação – Em cumprimento ao decreto nº 90 de 16 de abril de 2019, a Seduc já autorizou e fez o encaminhamento para publicação, segundo a secretaria Marioneide.

 

Fonte: Assessoria/Sintep-MT

O Portal não se responsabiliza pelos comentários aqui postados!