Últimas notícias
TJ abre dia 20 inscrições para concurso de juiz | Chuvas retornam após 90 dias e montante chega a 30 mm em Canarana| Campeonato Municipal de Futebol. Grande final domingo dia 18 de agosto em Água Boa| Prefeitura de Gaúcha do Norte utiliza recurso do Fethab para aquisição de um trator Case IH Puma 215| Ciclovia e nova entrada das Águas Quentes estão entre as obras comemorativas de 70 anos de Barra do Garças|
Notícias - Saúde

11 de Maio de 2018 ás 09:43:13

OMS diz que se prepara para o 'pior cenário possível' após casos de ebola no Congo

Organização Mundial da Saúde registrou 32 novos casos, incluindo 18 mortes, no país entre 4 de abril e 9 de maio. Doença estava controlada desde julho de 2017.

Foto por: Media Coulibaly/Reuters

Após declarar fim do surto de ebola em julho de 2017, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta sexta-feira (11) em entrevista coletiva que o risco de propagação do vírus na República Democrática do Congo (RDC) é elevado e que se prepara paro "o pior cenário possível". A informação é da agência France Presse.

    "Estamos muito preocupados e nos preparamos para todos os cenários, incluindo o pior cenário possível", declarou o diretor do programa de resposta de emergências da OMS, Peter Salama, em uma entrevista coletiva em Genebra.

A OMS registrou 32 casos ebola, incluindo 18 mortes, no país entre 4 de abril e 9 de maio. O último surto de ebola foi em 2017 e deixou quatro mortos. Há algum tempo, no entanto, a África vem sofrendo com o avanço do vírus.

A epidemia mais importante ocorreu no oeste da África entre 2013 e 2016 e deixou 11,3 mil mortos de um total de 29 mil casos, em sua grande maioria na Guiné, Libéria e Serra Leoa.

Ebola é transmitido por líquidos corporais

A febre hemorrágica do ebola, que apareceu pela primeira vez em 1976 no que então era Zaire (agora RDC), procede de um vírus que se transmite por contato físico com os líquidos corporais infectados.

O consumo de carne de animais silvestres também é um fator de contágio. A epidemia mais importante ocorreu no oeste da África entre 2013 e 2016 e deixou 11,3 mil mortos de um total de 29 mil casos, em sua grande maioria na Guiné, Libéria e Serra Leoa.

 

Fonte: G1

O Portal não se responsabiliza pelos comentários aqui postados!