Últimas notícias
'Estava descontrolado descendo a ladeira', conta estudante que estava em ônibus que tombou na BR-259, em Serro| Desmatamento na Amazônia cresce quase 30% entre agosto de 2018 e julho de 2019, diz Inpe| Médicos discutem a necessidade do exame de toque na próstata| Diabetes é uma doença silenciosa; entenda os tipos| John MacArthur critica pastoras: “Capacitar mulheres torna homens fracos”|
Sicredi
Notícias - Cidades

08 de Novembro de 2019 ás 13:24:30

Botelho critica projeto que extingue municípios e pede mobilização de bancada federal

O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios, Neurilan Fraga, também criticou proposta do governo Jair Bolsonaro.

Foto por: Maurício Barbant/AL

A proposta de fusão de municípios com baixa sustentabilidade financeira sugerida pelo Governo Federal preocupou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM). O parlamentar considera que a iniciativa será ruim para Mato Grosso, que pode ser atingido em pelo menos 30 cidades.

Em entrevista à imprensa nesta quarta-feira (06), após a sessão ordinária, Botelho alertou sobre a necessidade da criação de uma força-tarefa junto à bancada federal de Mato Grosso e de governadores para não deixar a ideia prosperar.

“Temos que mobilizar a bancada federal e conversar com governadores. Acho que isso não vai prosperar no Congresso. Tenho essa convicção pois o impacto será muito grande. Lutamos para criar esses municípios que já estão estruturados, funcionando e acabar com eles, hoje, seria um retrocesso. Acredito que o Congresso vai ter sensatez, sensibilidade e não vai aprovar isso”, afirmou o presidente.

O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios, Neurilan Fraga, também criticou proposta do governo Jair Bolsonaro (PSL) que prevê que essas cidades sejam incorporadas por municípios vizinhos.

A ideia integra pacote de medidas do Governo Federal para alterar a Constituição e tentar melhorar a situação das contas do setor público. Além disso, o governo pretende restringir a criação de novos municípios.

Segundo a assessoria da AMM, lideranças municipalista já estão se articulando com os dirigentes da Câmara e do Senado para tratar sobre a proposta do governo. O senador Wellington Fagundes, que integra uma das Frentes de Defesa dos Municípios, já está conversando com as lideranças municipalistas. Da mesma forma o deputado Silvio Costa, da Frente do Novo Pacto Federativo, também está trabalhando junto com os deputados, no sentido de discutir exaustivamente esta proposta.

Veja a lista das cidades com menos de 5 mil habitantes:

Araguaiana - 3.100 pessoas

Araguainha – 935 pessoas

Canabrava do Norte – 4.743 pessoas

Conquista D'Oeste - 4.038 pessoas

Figueirópolis D'Oeste - 3.494 pessoas

Glória D'Oeste  - 3.026 pessoas

Indiavaí - 2.752 pessoas

Itaúba – 3.802 pessoas

Luciara – 2.077 pessoas

Nova Nazaré – 3.849 pessoas

Nova Brasilândia – 3.829 pessoas

Nova Marilândia - 3.278 pessoas

Novo Horizonte do Norte – 4.004 pessoas

Novo Santo Antonio – 2.640 pessoas

Nova Guarita – 4.519 pessoas

Nova Santa Helena - 3.718 pessoas

Planalto da Serra – 2.662 pessoas

Ponte Branca – 1.576 pessoas

Porto Estrela - 2.963 pessoas

Reserva do Cabaçal – 2.732 pessoas

Ribeirãozinho – 2.405 pessoas

Rondolândia – 4.001 pessoas

Salto do Céu – 3.365 pessoas

Santa Carmem – 4.525 pessoas

Santo Afonso – 3.146 pessoas

Santa Cruz do Xingu – 2.564 pessoas

Santa Rita do Trivelato – 3.429 pessoas

São José do Povo – 4.063 pessoas

São Pedro da Cipa – 4.727 pessoas

Serra Nova Dourada – 1.650 pessoas

Tesouro – 3.805 pessoas

Torixoreu – 3.609 pessoas

União do Sul – 3.525 pessoas

Vale de São Domingos – 3.127 pessoas

 

Fonte: Escrito por: Carlos Gustavo Dorileo - Olhar Direto

O Portal não se responsabiliza pelos comentários aqui postados!