Últimas notícias
'Estava descontrolado descendo a ladeira', conta estudante que estava em ônibus que tombou na BR-259, em Serro| Desmatamento na Amazônia cresce quase 30% entre agosto de 2018 e julho de 2019, diz Inpe| Médicos discutem a necessidade do exame de toque na próstata| Diabetes é uma doença silenciosa; entenda os tipos| John MacArthur critica pastoras: “Capacitar mulheres torna homens fracos”|
Sicredi
Notícias - Canarana

17 de Junho de 2019 ás 14:41:00

Indígenas e prefeito de Canarana defendem maior discussão sobre o traçado da BR-242

A maior discussão ficou pautada pelo traçado da BR-242 entre Gaúcha do Norte e Querência.

Foto por: Reprodução/ Tv Câmara

A reportagem do J. O Pioneiro acompanhou durante o dia desta última quarta-feira, 12, via Youtube, o seminário realizado na Câmara Federal, em Brasília-DF, sobre a ‘Aplicação do Direito de Consulta e Consentimento Prévio, Livre e Informado aos Povos Indígenas do Xingu’, referente a obras no Mato Grosso, mais especificamente sobre a BR-242 e a Ferrovia de Integração Centro Oeste (FICO).

Estavam presentes no seminário, deputados federais, representantes de órgãos do Governo Federal, lideranças indígenas da ATIX, além de prefeitos e vereadores da região, entre eles o prefeito de Canarana.

A maior discussão ficou pautada pelo traçado da BR-242 entre Gaúcha do Norte e Querência. Os indígenas, assim como o prefeito Fábio Faria, querem ser consultados e inicialmente defendem o traçado entre os dois municípios passando pela cidade de Canarana, onde já se tem estrada com parte dela asfaltada e, portanto, com impacto ambiental menor.

Por parte dos representantes do Governo Federal, foi percebido que eles aceitam o diálogo e que o ainda não foi batido o martelo com relação ao traçado da rodovia. Em prol do traçado original, sem passar por Canarana, se pronunciaram o prefeito de Querência Fernando Gorgen e Odir José Nicolodi (Caçula) que é presidente da comissão em prol da BR-242.

Ao final do seminário foi criado um Grupo de Trabalho entre os participantes para discutir o assunto e ouvir a comunidade indígena, para assim definir alguns pontos do projeto, entre eles o traçado da BR-242, se será por dentro ou por Canarana.

 

Fonte: Escrito por: Rafael Govari – JOP

O Portal não se responsabiliza pelos comentários aqui postados!