Últimas notícias
A Prefeitura de Canarana, em parceria com o SEBRAE, promoveu o I Seminário “Você é importante para o Município”. | A capital do nativismo Canarana realiza a maior Semana Farroupilha de Mato Grosso| Nova Xavantina aparece na lista de cidades que podem apresentar clima de deserto| Água Boa: Ruralista: bandidos pensarão duas vezes antes de invadir fazendas| Cocalinho/ Nova Nazaré (MT) - Ibama apreende madeira ilegal e aplica R$ 4,7 milhões em multas em 20 fazendas |
Notícias - Canarana

25 de Maio de 2019 ás 11:40:26

Em reunião com Aprosoja, prefeito de Canarana manifesta apoio ao fim do Fethab milho

O que é repartido pelo Governo do Estado com os municípios é o Fethab do óleo diesel. Canarana recebe em torno de R$ 2 milhões por ano.

Foto por: Jornal o Pioneiro

Representando o núcleo local da Aprosoja, os produtores Diego Dall’Asta, Rodrigo Piccinini e Pércio Cancian, se reuniram na manhã desta última quinta-feira, 23, com o prefeito Fábio Faria e a secretária de Administração, Eliane Felten, para pedir apoio do Executivo Municipal na cobrança junto ao Governo de Mato Grosso, pela extinção do Fethab do milho. A reportagem do J. O Pioneiro acompanhou a reunião.

Conforme os produtores, o milho é uma cultura em que na maioria dos anos não dá renda para o produtor, conforme dados do IMEA, principalmente por conta da imprevisibilidade do clima no período da segunda safra e a baixa cotação do grão no Mato Grosso. Então, não faz sentido pagar imposto do prejuízo.

Pelos cálculos da Aprosoja, somente em Canarana serão arrecadados com o Fethab do milho mais de R$ 4 milhões. Em todo o Mato Grosso serão mais de R$ 150 milhões. Esse dinheiro é retirado do bolso do produtor e vai para o Governo do Estado, sem retorno ao município. A cobrança do Fethab do milho é de R$ 0,50 por saca.

Em Canarana, o Fethab de todas as commodities deverá somar mais de R$ 50 milhões, montante em que o milho está inserido. Desse recurso, nenhum centavo volta ao município. O que é repartido pelo Governo do Estado com os municípios é o Fethab do óleo diesel. Canarana recebe em torno de R$ 2 milhões por ano.

Em crise financeira, o atual Governo sobretaxou a soja e criou o imposto no milho. Além de requerer a retirada do Fethab milho, os produtores também querem que o restante do imposto arrecadado seja investido na finalidade pelo qual foi criado, que é a logística, como estradas. Não faz sentido pagar carro e continuar tendo prejuízos rodando em estradas ruins.

Na última semana, mais de 1.500 produtores se reuniram em Cuiabá, dentro do movimento puxado pela Aprosoja que se chama Mato Grosso Forte – quem paga imposto cobra resultado. Na oportunidade conversaram com deputados e com o governador Mauro Mendes e definiram estratégias de apoio. Uma delas era chamar os prefeitos para esse pedido.

O prefeito Fábio Faria disse que apoia essa ideia e fará uma carta para ser enviada ao governador com o pedido de extinção do Fethab do milho.

 

Fonte: Escrito por: Rafael Govari – JOP

O Portal não se responsabiliza pelos comentários aqui postados!