Últimas notícias
Canarana abre processo seletivo para fisioterapeutas | Em posse da diretoria da OAB advogados criticam ameaça de suspensão da Comarca de Canarana| Água Boa Começa a Produzir Algodão | Aprosoja realiza recadastramento do programa Agrosolidário em Gaúcha do Norte| Defensoria participa do 1° Araguaia InterAtivo na UFMT |
Notícias - Economia

01 de Outubro de 2018 ás 09:14:11

Representante comercial deixa a profissão para se dedicar à produção de jabuticabas em MT

"A roça é um sonho que carrego desde criança", diz agricultor sobre a produção de frutas.

Foto por: TVCA/Reprodução

O agricultor Dionísio Santana trabalhou como representante comercial por mais de 25 anos, mas decidiu largar a profissão e realizar o sonho de ter uma lavoura. E dentre os frutos produzidos no sítio dele, em Santo Antônio de Leverger, a 35 km de Cuiabá, o destaque é para as jabuticabas.

Os 200 pés de jabuticaba foram plantados há 18 anos. Na época, viver exclusivamente da pequena agricultura ainda era apenas um sonho para ele.

“A roça para era um sonho desde criança. Há três anos eu me dedico exclusivamente à lavoura”, contou ele.

Este ano, Dionísio comemora a produção recorde, colhendo de 60 a 70 kg da fruta por pé. Uma renda de aproximadamente de R$ 200 em cada árvore.

Em contrapartida, o custo para manutenção o pomar é baixo, o que proporciona uma renda considerável nessa época do ano.

“Eu gasto cerca de R$ 10 por ano para limpeza, que é feita três vezes por ano, assim como o combate de ervas daninhas”, explicou.

Após 30 dias do início da florada, que ocorre no mês de agosto, as frutas estão prontas para serem colhidas. Dinísio investiu em um sistema de irrigação que ajudou a aumentar a produtividade.

Cada quilo de jabuticaba é vendido por R$ 6. Sendo que deste valor, R$ 1 é pago para os trabalhadores que ajudam na colheita.

“O difícil da jabuticaba é a colheita, porque é feita com a mão, fruto por fruto, então não rende, por isso eu conto os vizinhos e pago R$ 1 por quilo colhido”, disse ele.

A boa aceitação do produto no mercado tem proporcionado boas vendas. Dinísio comercializa 80% da produção no Mercado do Porto, em Cuiabá, porém já tem feito negociações com os supermercados.

"Eu tenho me dedicado à comercialização "in natura", ainda não estou focando na indústria", afirmou.

A expectativa do agricultor é que a produção possa melhorar ainda mais e abrir novas possibilidades e mercado.

Dionísio também produz mamão, banana, goiaba e mandioca.

 

Fonte: Escrito por: Adriano Soares - TV Centro América

O Portal não se responsabiliza pelos comentários aqui postados!