Últimas notícias
Em reunião com Aprosoja, prefeito de Canarana manifesta apoio ao fim do Fethab milho| ACENN de Nova Nazaré está em plena atividade| Construção dos fóruns de Nova Xavantina e Água Boa beneficiará população| Arraia da Agronomia acontece dia 08 de junho na Praça Suzanete Ferreira| Chitãozinho é nomeado 'Embaixador do Araguaia' por Caiado apesar de processo por danos ambientais à região do rio|
Notícias - Agronegócios

14 de Maio de 2019 ás 10:25:56

Ibrafe avisa aos produtores de feijão que acordo liberando entrada do grão mexicano no Brasil não deve afetar formação de preços

Preços do feijão no mercado interno voltam a se recuperar com recuo da oferta por clima no Paraná e confirmação de menores produtividades com o avanço da colheita

De acordo com Marcelo Eduardo Lüders, presidente do IBRAFE, os preços do feijão carioca reagiram nos últimos dias. Na semana passada, houve uma melhor procura, acabando o receio de que os preços poderiam cair ainda mais.

As chuvas no Sul do país contribuiram para essa mudança de expectativa, já que elas vêm dificultando a colheita. Os preços chegaram a R$110 a R$120 reais - em Minas Gerais e Goiás, a R$140.

Para Lüders, os preços em R$110 estavam fora de contexto, principalmente levando em conta as produtividades vistas no campus do Paraná. Os produtores, segundo ele, precisam verificar a média de preço na hora das negociações.

Por sua vez, a ministra Tereza Cristina anunciou acordo com o México facilitando a entrada do feijão. Contudo, Lüders acredita que esse acordo não deve afetar a formação de preços.

A observação do Ibrafe é de que as entidades precisariam ser ouvidas a respeito desse tema, porque além da necessidade de importação, precisa-se abrir o mercado mexicano pra o feijão brasileiro. O presidente destaca a necessidade de reciprocidade.

 

Fonte: Aleksander Horta e Izadora Pimenta - Notícias Agrícolas

AUDIO DA NOTÍCIA

O Portal não se responsabiliza pelos comentários aqui postados!